Serra - ES - Brasil 5 Nov. 2018 23 °C
Wind: 35.40 km/h
Humidity: 89% Pressure: 34270.27 mb
Sunrise: 5:57 am Sunset: 6:52 pm
Mon 23 °C 21 °C
Tue 25 °C 20 °C
Wed 26 °C 21 °C
Thu 26 °C 22 °C
Fri 22 °C 21 °C
Sat 22 °C 20 °C
Sun 25 °C 20 °C

  Serra/ES

Curioso para conhecer um pouco de Golfe? Abaixo apresentamos tudo para você!

A ORIGEM DO GOLFE

A palavra golfe vem do inglês golf, que por sua vez provém do alemão kolbe, significando taco. Considerado um esporte de elite pela maioria das pessoas, tem sua origem bastante especulada, sendo que a mais provável é a sua criação pelos escoceses que já o praticavam por volta de 1400. Em 1457, o parlamento escocês, por ordem do rei Jaime II da Escócia, proibia a prática do golfe por considerá-lo um divertimento que afetava os interesses do país. 

Alguns historiadores tentam atribuir aos ingleses a criação deste esporte, afirmando que um povo inculto, como seria o escocês daquela época, não poderia ter criado um jogo tão engenhoso. Outras origens são conhecidas; um antigo jogo romano chamado paganica - o jogo dos camponeses - era praticado nos séculos XVII, XVIII e início do XIX, com uma bola de pele ou couro cheia de penas e com uma vara curva, lembrando bastante o golfe. Entretanto, isso não prova nada, uma vez que a maioria dos esportes dessa época utilizavam tacos curvos. golfe.tur.br 

Existem historiadores que acreditam que o golfe saiu do jeu de mail, antigo jogo francês do qual se assemelha ao golfe principalmente nas regras, mas que é praticado em espaços fechados e às vezes em quadras. Outras possíveis origens do golfe são o flamengo chole e o holandês kolven, mas nenhum dos dois é muito provável, uma vez que o chole, embora jogado em campo aberto, utiliza uma bola para os dois times, o que não é permitido no golfe. Segundo documentos antigos, todo golfista que jogar com a bola do adversário receberá penalização.
O jogo

O golfe pode ser jogado individualmente ou em grupos de dois a quatro jogadores, e tem como particularidade a ausência de um "adversário" propriamente dito; o único adversário do golfista é o próprio campo, uma vez que não há nada que ele possa fazer no sentido de dificultar o desempenho de outros jogadores. O resultado depende de seu esforço individual e sorte, e cada golfista luta para baixar a sua pontuação total no campo. 

Em competições oficiais, é proibido um golfista falar com outros jogadores acerca do jogo. Já em jogos entre amigos, é normal o golfista mais experiente dar "dicas" aos menos experientes.


O golfe retratado na arte
Em certas pinturas de grandes mestres, encontram-se retratados jogos semelhentas ao kolven, ou mais propriamente, do het kolven, com o estilo do golfe. Num museu da Holanda existe uma tela de Rembrandt, datada de 1654, que é reconhecida entre os colecionadores como "O Golfista", embora o título original ainda seja matéria de discussão. 

O kolven era praticado num kolf-bann, uma quadra com paredes, quase sempre pavimentada e que, em geral, pertencia a uma hospedaria, atraindo muitos hóspedes. O taco utilizado era de madeira, com a face chata e coberta de metal, denominado kolf. A bola, chamada kolven era do tamanho de um grape-fruit e pesava mais de um quilo. Porém, a diferença fundamental entre o golfe e o het kolven está no tamanho da quadra; no segundo, ela nunca é maior do que 50 metros, enquanto que um campo de golfe chega a ter 150 acres. De qualquer forma, na Idade Média, as terras aráveis era preciosíssimas para a Holanda, por isso dificilmente seria desperdiçada uma área tão grande para a construção de um campo para golfistas. 

Isso tudo vem reforçar a tese de que foram os escoceses os primeiros a reunir num esporte todas as características do golfe atual. Na antiga Escócia, os campos de golfe se formavam naturalmente, a sua grama era fertilizada pelos pássaros e animais da região e aparada por coelhos, lebres e carneiros. No campo, à beira-mar, era encontrados bancos de areia formados pelas marés e onde os animais aprofundavam abrigos para que pudessem se proteger das chuvas e das tempestades. Com certeza, foi num desses campos formados pela própria natureza que o golfe foi jogado pela primeira vez. 


Em Campo, o Capitão de Golfe.
No século XVIII, com os campos de golfe formados naturalmente, não havia limitação dos mesmos. As regras eram feitas e desfeitas pela Honourable Company of Edinburgh/Golfers (HCEG), não havendo greens definidos, nem fairways nem tees. Todo o campo era considerado green, dando origem aos termos green keeper e green committee. Uma volta era completada com uma ou mais rodadas no campo, não importando o número de buracos. 

Levando-se em conta que não existiam regras determinando a maneira correta de se jogar golfe, no dia 17 de março de 1744, o conselho da cidade de Edimburgo se reuniu e decidiu doar um taco de prata para ser disputado anualmente nos Linke of Leith. O vencedor seria chamado de Captain of Golf e daria a palavra final em todas as discussões referentes ao jogo. (in CADDIE - Revista Brasileira de Golfe, Almanaque dos Esportes - Sérgio Noronha, Esportes Diversos - I. A. Correia). golfe.tur.br

Fonte: www.golfe.tur.br 

HISTÓRIA DO GOLFE NO BRASIL

A chegada do golfe ao Brasil ocorreu de forma curiosa. No final do século XIX, engenheiros ingleses e escoceses que construíam a Estrada de Ferro Santos - Jundiaí, a São Paulo Railway, convenceram monges beneditinos a ceder parte do terreno do Mosteiro de São Bento para a construção do primeiro campo de golfe do país, na região atualmente situada entre a Estação da Luz e o rio Tietê. 

A expansão da cidade em direção ao rio obrigou a transferência do campo, em 1901, para um local próximo à confluência das avenidas Paulista e Brigadeiro Luiz Antônio, local este, até hoje, denominado "Morro dos Ingleses", devido aos tais "ingleses" que jogavam seu golfe ali. Fundou-se então o "São Paulo Country Club", que teve o primeiro campeonato interno vencido por J. M. Stuart, em 1903. Depois de nova transferência para o Jabaquara, o campo foi estabelecido definitivamente em 1915 num terreno cedido pela Light, na região de Santo Amaro, com o nome de São Paulo Golf Club. No mesmo ano surgiram mais dois campos, o Santana do Livramento Golf Club, no Rio Grande do Sul, e outro na cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo, num terreno que foi entregue a Henrique Lisboa Wright para saldar uma dívida, posteriormente transformado num campo de nove buracos. Wright é avô de Jesse Rinehart Jr., que anos mais tarde seria um dos fundadores e primeiro presidente da Confederação Brasileira de Golfe. 

No Rio de Janeiro, na década de vinte, nasce o Gávea Golf & Country Club, encravado entre o mar e as montanhas, um dos campos mais bonitos do mundo. Na década de 30, o Itanhangá, cujo percurso atual em nada lembra o trajeto plano e fácil construído por aduladores para facilitar o jogo do presidente Getúlio Vargas, que não tinha bom desempenho no difícil campo do Gávea. Na mesma época foram construídos o Porto Alegre Country Club, no Rio Grande do Sul, e o Graciosa Country Club, no Paraná. Em 1939, surgia um garoto de Santana do Livramento, com conquistas que marcariam para sempre a história do esporte no Brasil -

Fonte: www.golfe.tur.br

 

COMO CHEGAMOS NO ESPÍRITO SANTO

Há 33 anos, um grupo de japoneses fundou o Clube Capixaba de Golfe (CCG). 

Naquela época, os japoneses da Kawasaki Steel vieram construir a Usina de Tubarão e compraram o terreno para fazer um clube de divertimento privativo, com golfe, tênis, beisebol e piscina. Com o tempo, eles doaram com o compromisso de que os futuros donos cuidassem do espaço. 

Desde então os apaixonados pelo esporte cuidam desta jóia que nos foi deixada e, a cada dia que passa, o esporte conquista mais praticantes, mantendo assim perpetuado o sonho dos seus fundadores

O Jogo

Golfe é um desporto no qual os jogadores usam diversos tipos de tacos para arremessar uma bola para uma série de buracos numa vasta extensão de terreno, usando o menor número possível de tacadas. É um dos poucos desportos com bola que não exige uma área de jogo normalizada. Em vez disso, o desporto é praticado num campo de golfe, o qual geralmente consiste numa progressão de nove ou dezoito buracos. Cada buraco inclui uma área de terreno inicial (tee) e uma área final (green), na qual se encontra o buraco propriamente dito. Entre as duas áreas existem diversos tipos padronizados de terreno e obstáculos, e cada buraco possui uma configuração única. As competições de golfe são geralmente pontuadas em função do menor número de tacadas individuais, ou stroke play, ou a pontuação mais baixa em cada buraco individual durante uma ronda completa de um jogador ou de uma equipe, ou jogo por buraco. O formato do jogo por tacadas, no entanto, é o mais comum em todas as competições.

 

Par do buraco

Desde o local de saída (tee) até o buraco, o número médio de tacadas necessárias para embocar a bola é um índice, chamado par do buraco, que ajuda a medir o desempenho do jogador. Conforme a distância, há buracos de par três (até 228 m), par quatro (até 430 m) ou par cinco (mais de 430 m). Para as mulheres, as distâncias são um pouco menores.

 

Par do campo

A somatória total do par de todos os buracos dá origem a outro valor de referência, o par do campo. Se um campo tem par 71, quer dizer que um jogador regular deve, ao término dos 18 buracos, totalizar o mais próximo possível de 71 tacadas. Quando o par é 71 e o jogador termina os 18 buracos em 70 tacadas, é comum dizer que fez “um abaixo do par”; se terminou com 69, “dois abaixo do par”, e assim por diante. No mesmo par 71, se marcar 72, diz “um acima do par”; 73, “dois acima do par”, e assim sucessivamente.

 

Pontuação

Nº de tacadas

Termo especifico

Definição

-3

Albatross (ou double-eagle)

Três tacadas abaixo do par

-2

Eagle (ou double-birdie)

Duas tacadas abaixo do par

-1

Birdie

Uma tacada abaixo do par

0

Par

Número de tacadas igual ao par

1

Bogey

Uma tacada acima do par

2

Double bogey

Duas tacadas acima do par

3

Triple bogey

Três tacadas acima do par

Fonte: wikipedia

 

ETIQUETA DO JOGO DE GOLFE

Comportamento no Campo 

Diferentemente de muitos esportes, o golfe é jogado, na maioria das vezes, sem a supervisão de um juiz ou árbitro. O jogo depende da integridade do indivíduo em mostrar consideração pelos outros jogadores e obedecer as regras. Todo jogador deve conduzir-se de maneira disciplinada, demonstrando cortesia e esportividade a todo o momento, independentemente de quão competitivo possa ser. Esse é o espírito do jogo de golfe.
Segurança


Antes de fazer qualquer "swing" de prática com o taco ou dar uma tacada na bola, o jogador deve certificar-se de que não há ninguém próximo ou em um local onde possa ser atingido pelo taco, pela bola ou qualquer pedra, pedregulho, galhos ou algo semelhante passível de ser deslocado pela tacada ou pelo movimento do taco. 

Nenhum jogador deve jogar antes de todos os jogadores à sua frente estarem fora de alcance. 

O jogador sempre deve avisar ao pessoal de manutenção do campo próximo ou à sua frente quando for dar uma tacada que possa comprometer sua segurança. 

Caso um jogador bata uma bola na direção onde há o risco de atingir alguém, ele deve imediatamente gritar um aviso. A palavra tradicional para um aviso em tal situação é "fore".


Consideração Devida aos Outros Jogadores

Nenhuma perturbação ou distração: o jogador sempre deve mostrar consideração pelos outros jogadores no campo e não deve perturbar seu jogo movimentando-se, falando ou fazendo barulho desnecessário. 

O jogador deve certificar-se de que qualquer dispositivo eletrônico levado para o campo não distraia os outros jogadores. 

Na área do tee, o jogador não deve colocar sua bola sobre o "tee" até que seja sua vez de jogar. 

Ninguém deve permanecer perto ou diretamente atrás da bola ou do buraco, quando um jogador estiver preparando uma tacada. golfe.tur.br
No "Green"


No green, ninguém deve permanecer na linha de putt de outro jogador ou, quando ele estiver executando a tacada, projetar sua sombra na linha de putt. 

Os jogadores devem permanecer no ou próximos do green até que todos os outros jogadores tenham terminado o buraco.


Escores

No jogo por tacadas, o jogador que for o marcador deve, caso houver necessidade, no caminho para a próxima área do tee, confirmar o escore com o jogador em questão e registrá-lo.
Cadência do Jogo


Jogar a um bom ritmo e não demorar: os jogadores devem jogar sem demora. A Comissão pode estabelecer as diretrizes da cadência do jogo que devem ser seguidas por todos os jogadores. 

É responsabilidade do grupo acompanhar o ritmo do grupo à sua frente. Se deixar um buraco livre e estiver retardando o grupo seguinte, deve convidar esse grupo para passar, independente do número de jogadores no grupo.
Estar Pronto para Jogar


O jogador deve estar pronto para jogar logo que for a sua vez. Ao jogar no ou próximo ao green, as bolsas ou carros de golfe devem permanecer em uma posição que permita sair rapidamente do green e encaminhar-se para a área do tee seguinte. Ao terminarem um buraco, os jogadores devem sair imediatamente do green.


Bola Perdida

Se um jogador achar que sua bola está perdida fora de um azar de água ou está fora de campo, para ganhar tempo, ele deve jogar uma bola provisória. 

Os jogadores que procuram uma bola devem fazer sinal aos jogadores do grupo seguinte para passarem, logo que percebam que a bola não vai ser encontrada rapidamente. Não devem esperar cinco minutos para fazê-lo. Tendo permitido que o grupo seguinte passe, não devem recomeçar a jogar até que esse grupo passe e esteja fora de alcance. golfe.tur.br
Prioridade no Campo


Salvo se a Comissão estabelecer o contrário, a prioridade no campo é determinada pela cadência de jogo do grupo. Qualquer grupo que jogue uma volta inteira tem o direito de passar outro que só jogue parte da volta.


Cuidados com o Campo

Bunkers: antes de sair de um bunker, os jogadores devem encher e alisar todas as irregularidades causadas por seus pés ou taco e qualquer uma próxima feita por outros. Caso haja um rastelo a uma distância razoável do bunker, ele deve ser utilizado para esse fim. 

Reparar "Divots", marcas de impacto da bola e estragos causados pelos sapatos: os jogadores devem reparar cuidadosamente qualquer pedaço de grama ("divot") que levantem ao jogar e qualquer estrago feito no green ocasionado pelo impacto de uma bola (feito ou não pelo próprio jogador). Depois de terminado o buraco por todos os jogadores do grupo, os estragos feitos no green pelos sapatos devem ser reparados.


Evitando Danos Desnecessários

Os jogadores devem evitar causar danos ao campo arrancando pedaços de grama ("divots") ao fazer movimentos de prática ou ao bater a cabeça do taco no chão, sendo por raiva ou qualquer outro motivo. 

Os jogadores devem assegurar que não seja feito qualquer estrago no green ao colocar a bandeira ou as bolsas no chão. 

A fim de não estragarem o buraco, os jogadores e os caddies não devem pisar o terreno à sua volta e devem ter cuidado com a forma como seguram a bandeira e retiram a bola do buraco. Não se deve utilizar a cabeça do taco para retirar a bola do buraco. 

Os jogadores não devem apoiar-se nos seus tacos no green, especialmente ao retirar a bola do buraco. A bandeira deve ser apropriadamente reposta no seu lugar, antes dos jogadores saírem do green. Normas locais que regulam a movimentação dos carros de golfe devem ser rigorosamente seguidas.

Fonte: www.golfe.tur.br

REGULAMENTO  GERAL  DE  GOLFE

 

I N D I C E 

 

1. INTRODUÇÃO

2. ETIQUETA - COMPORTAMENTO NO CAMPO

3. REGRAS DE  GOLFE

4. REGRAS LOCAIS  

5. COMISSÃO TECNICA 

6. CRITERIO DE USO  DO CAMPO  

7. CARROS  DE GOLFE (CART)

8. COMPETIÇÕES  

9. CALCULO DO HANDICAP

10. HOLE  IN ONE

11. TAXA DE USO DO CAMPO - GREEN-FEE

12. USO DO CAMPO  POR  NÃO ASSOCIADOS

13. ALUNOS  DE GOLFE

14. DISPOSIÇÕES FINAIS

 

 

1. INTRODUÇÃO

1.1. Este documento  tem como  objetivo  regulamentar a  pratica do golfe  no CCG definindo  critérios  e  regras  a serem observados pelos golfistas  a fim de ordenar o uso das instalações do clube,  preservar o interesse de todos  e assegurar o bom andamento dos jogos e competições

2. ETIQUETA - COMPORTAMENTO NO CAMPO

2.1. O espirito do jogo

2.1.1. Diferentemente de muitos esportes , o golfe é jogado na maioria das vezes, sem a supervisão de um juiz ou árbitro.

2.1.2. O jogo depende da integridade do individuo mostrar consideração pelos outros jogadores e obedecer as  Regras.

2.1.3. Todo jogador deve conduzir-se de maneira disciplinada , demonstrando cortesia e esportividade a todo momento, independentemente de quão competitivo possa ser.  

2.2. Segurança

2.2.1. O jogador deve certificar-se de que não há ninguém perto ou num local onde possa ser atingido pelo taco, bola, pedras, areia, ramos ou algo semelhante  que possa ser deslocado pela tacada ou  pelo movimento do taco.

2.2.2. Nenhum jogador deve jogar antes de todos os jogadores à frente estarem fora de alcance.

2.2.3. Caso, ao executar a tacada, a bola  tome uma direção com alto risco de atingir alguém, o jogador  deve imediatamente gritar um aviso . A palavra usual nessa situação é "fore".

2.3. Consideração com outros jogadores

2.3.1. O jogador sempre deve mostrar consideração pelos outros jogadores no campo, e não deve perturbar seu jogo movimentando-se, falando ou fazendo barulho desnecessário. 

2.3.2. O jogador deve respeitar a ordem de quem tem a honra de jogar primeiro

2.3.3. No green, não pisar na linha de "putt" de outros jogadores e  também, não permanecer perto ou postar-se diretamente atrás  ou a frente ou projetar sua sombra na linha do "putt", quando alguém  estiver preparando ou executando uma tacada. 

2.4. Cadência de jogo

2.4.1. No interesse de todos , os jogadores devem jogar sem demora.

2.4.2. Aguarde sua vez de jogar já preparado com luva colocada e taco escolhido. 

2.4.3. Se não tiver certeza se sua bola está salva no campo,  jogue uma bola provisória.

2.4.4. Jogadores  que procuram uma bola devem fazer sinal para permitir a passagem do grupo detrás.

2.4.5. Manter-se atentos para permitir passagem ao grupo detrás  pois seu  grupo pode estar muito lento abrindo espaços à frente e formando fila atrás.

2.4.6. Quando terminar um buraco, libere imediatamente  o "green" , inclusive o seu caddie.

2.4.7. Permitir "tee-shot" para o grupo de trás nos buracos  Par 3  quando todos colocarem  suas bolas  no  "green". e  o  grupo de trás já tiver alcançado e a espera  no "tee". 

2.5. Cuidados com o campo

2.5.1. Não jogar pontas de cigarro , materiais plásticos e outros lixos.  

2.5.2. Cobrir com areia , as marcas feitas pelos tacos  nos "tee".

2.5.3. Repor os "divot" após tacadas no "fair-way".

2.5.4. Após usar os "bunker"  alisar as marcas na areia causadas pela tacada e pelo sapato.

2.5.5. Para entrar e sair do "bunker" faça-o sempre pela parte mais baixa.

2.5.6. Ao chegar ao "green" e antes de iniciar o "putt" , reparar  a marca feita pelo impacto da bola  e ,  ao deixar o "green", após todos terem concluído o buraco,  reparar qualquer estrago na superfície do "green"  causado pelo jogador ou seu caddie. 

2.5.7. Manter o campo em  condições pelo menos iguais as  que encontrou  é uma tarefa  do jogador que deve fazê-lo pessoalmente ou através de seu caddie.

3. REGRAS DE GOLFE

3.1. Aplicam-se integralmente  as Regras de Golfe e o Estatuto do Golfe Amador de  The Royal & Ancient Golf Club of St. Andrews e USGA-United States Golf Association, conforme tradução oficial publicada e divulgada pela CBG-Confederação Brasileira de Golfe.  

3.2. É obrigatório o conhecimento mínimo das regras por parte dos golfistas para obterem o Handcap. A comissão técnica é a responsável pela avaliação do golfista para a obtenção do Handcap. 

4. REGRAS LOCAIS

4.1. As Regras Locais Permanentes definem as condições permitidas de jogo   especificas do CCG e encontram-se impressas  no verso dos cartões de contagem   de tacadas. .

4.2. As Regras locais Transitórias  definem  situações permitidas de jogo a serem aplicadas por  um determinado período ou  em torneios específicos, previamente divulgadas  pela Comissão Técnica  .

5. COMISSÃO TECNICA 

5.1. O Diretor  Capitão de Golfe  exerce a função de Capitão de Golfe do clube.

5.2. A Comissão Técnica   é composta pelo Capitão de Golfe e por mais 2 jogadores do clube  de sua escolha, cujos nomes serão divulgados no inicio de cada temporada.

5.3. A Comissão Técnica tem por finalidade assessorar o Capitão de Golfe na organização de torneios, na correta aplicação de regras e etiquetas do golfe, no esclarecimento de dúvidas dos jogadores  e na aplicação deste Regulamento.

5.4. Função do Capitão  de Golfe:

5.5.1 Responsável pela divulgação das etiquetas e regras de Golfe.

5.5.2 Elaboração e divulgação das regras locais

5.5.3 Orientar na marcação e apoiar na manutenção do campo

5.5.4 Realizar e acompanhar o planejamento anual das competições do clube

5.5.5 Organizar os torneios do clube

5.5.6 Coordenar a comissão técnica na definição dos HC e durantes as competições 

5.5.7 Representar o clube quando necessário

5.5.8 Participar das reuniões da Diretoria

6. CRITÉRIO  DE  USO  DO CAMPO

6.1. O campo de golfe deverá ser utilizado por grupos de 2  até  4 jogadores.

6.2. Grupos de um jogador serão permitidos apenas nos horários  de pouco movimento.

6.2.1. A utilização por apenas um jogador  não dará  nenhuma prioridade no campo.

6.3. Grupos lentos devem conceder passagem  aos grupos mais rápidos.

6.3.1. Um grupo lento é aquele que quando se posiciona no Tee shot de um buraco, e não há nenhum grupo entre o tee shot do próximo buraco e ele.

6.4. Os grupos devem sempre jogar na seqüência normal dos buracos, não sendo permitido  saltar  buracos.

6.5. Grupos disputando competição oficial do clube terão prioridades no  campo. 

6.6. As  aulas de golfe  estão permitidas nos dias e horários de pouco movimento no campo.

6.7. Não são permitidos  treinamentos no campo. Devem ser utilizados  o "driving range",  "putting green"  , área de "chipping" e  "bunker" de treinamento. 

6.8. Os  seguintes critérios serão aplicados  nos horários de  muito  movimento:

6.8.1. O Starter organizará formação de grupos com  3  e  4 jogadores.

6.8.1.1. Grupos de 2 jogadores serão liberados  após uma espera de 15 minutos. 

6.8.2. Sempre que possível, a soma  de handcaps  de cada  grupo não deverá exceder a  108.  

6.8.2.1. Permitido apenas um jogador sem handcap por grupo  e para efeito de contagem , os iniciantes homens contam  36 e mulheres 40 .

6.8.2.2. Os golfistas visitantes devem declarar seus handcaps.

6.8.3. Os horários de saídas serão controlados pelo Starter. 

6.8.3.1. Ao terminar a volta  OUT, o grupo deverá  reservar  seu  horário de saída IN . 

6.8.4. A saída preferencial  será sempre pelos Buracos 1 e 10. 

6.8.4.1. O Starter poderá autorizar saídas pelos Buracos 4 e 13, observando-se que esses grupos não terão nenhuma prioridade na  seqüência do jogo  nos Buracos 1 e 10.

7. CARROS  DE GOLFE.(CART)

7.1. O "cart"   deve transitar pelos terrenos firmes e secos  nos "fair-way" e "rough".

7.2. Nos  "green"  e "tee", o cart   não deve subir nos níveis dos mesmos, devendo  manter estacionado no  "fair-way".

7.3. O uso de "cart"   é proibido pelos competidores nos torneios do clube, exceto no Mach Play, quando acordado pela dupla em disputa.

7.4. É considerada falta grave transitar com o “cart” em locais proibidos. (Não respeitar a sinalização).

8. COMPETIÇÕES  

8.1. Torneios oficiais  são os torneios constantes do calendário anual   e validos para classificação no ranking do clube .

8.2. Somente os golfistas com handcap poderão participar dos torneios oficiais.

8.2.1. Os golfistas  do clube que  tiverem suspensos seus handcap,   podem participar porem   não  concorrem  a premiações NET .

8.2.2. Os golfistas visitantes só terão inscrições aceitas se o torneio for aberto  e apresentarem comprovantes de handcap emitidos pelo seu clube de origem ou entidade equivalente. 

8.2.3. Os golfistas convidados do clube e do patrocinador estão isentos de apresentação  de comprovantes de handcap. 

8.3. O campeonato anual do clube nas categorias masculina e feminina é disputado  na modalidade de jogo por buraco(Match-Play) e é regido por um regulamento próprio.

8.3.1. Os campeões anuais tem seus nomes gravados  no  quadro de honra  do clube. 

8.4. Os cartões das competições só serão validos quando devidamente assinados e datados pelo próprio golfista e pelo marcador  responsável.

8.4.1. O golfista é o único responsável pela exatidão do numero de tacadas registradas em cada buraco.

8.5. Quando uma competição terminar empatada e  for disputada na modalidade por buraco (Match Play) ,  deverão ser jogados tantos outros buracos quanto necessários até encontrar-se um vencedor.

8.6. Quando uma competição terminar empatada e for disputada na modalidade por tacadas (Stroke Play)  e com handcap, o vencedor  é o handcap mais baixo,  persistindo o empate, o vencedor é aquele que tiver obtido melhor  resultado liquido(NET)  nos últimos 36, 18, 9, 6 buracos, persistindo o empate , será decidido por sorteio.

8.7. Quando uma competição terminar empatada e for disputada na modalidade por tacadas (Stroke Play)  e sem handcap, o vencedor é aquele que tiver obtido melhor  resultado nos últimos 36, 18, 9, 6 buracos, persistindo o empate , será decidido por sorteio.

8.8. São consideradas faltas graves, as ausências e os abandonos de jogos injustificados. 

8.8.1. O abandono de jogo será avaliado pelos integrantes do grupo e a comissão técnica.

8.9. Nos torneios e competições oficiais do clube, deverão ser observados os seguintes critérios de participação: 

8.9.1. A participação fica limitada aos sócios, com a taxa de manutenção em dia, os convidados do patrocinador, quando houver, e golfistas com handcap desde que convidados pela diretoria.

 

9. CALCULO DO HANDCAP  

9.1. O  handcap é baseado no desempenho do jogador nos jogos de 9 ou 18 buracos   e registrados nos cartões de contagem  de tacadas.

9.2. A entrega de cartões é obrigatória, devidamente preenchidos, datados e atestados pelos demais jogadores.

9.3. Os handcaps estão limitados em 36 para homens e 40 para mulheres.

9.4. Para efeito de calculo do handcap, as seguintes situações  são considerados resultados inválidos:

9.4.1. Cartões atestados exclusivamente por jogadores parentes em primeiro grau

9.4.2. Cartões atestados exclusivamente por jogador sem handicap

9.4.3. Cartões sem atestados ou sem datas .

9.4.4. Cartões com soma parcial ou total errados

9.4.5. Cartões em que jogou sozinho

9.4.6. Não  entrega de cartões.

9.5. Para  resultados   inválidos  , o jogador terá registrado o melhor resultado dentre os últimos 20 resultados de 18 buracos.

9.6. O handcap é apurado todo dia primeiro  de cada mês e considera os registros de jogos até o ultimo dia do mês anterior. 

9.6.1. É assegurado  a todo golfista  o direito de, a qualquer tempo, solicitar revisão do seu  handcap.

9.7. Os 3 primeiros colocados em cada categoria, em  um torneio oficial do clube, que apresentarem resultado final liquido  abaixo do seu par, terão seus handcaps diminuídos de 50% do resultado liquido(NET) , com arredondamento sempre para maior.

9.7.1. O resultado  liquido  deve ser referenciado a uma volta de 18 buracos.

9.7.2. O handcap assim calculado será valido a partir do dia seguinte ao torneio por mais  2 meses, excluído  o mês do torneio, prevalecendo entretanto o handcap da apuração mensal  se  o numero obtido  for menor.

 

10. HOLE IN ONE

10.1. Os  Hole-In-One  para serem validos  como tal  precisam atender as seguintes  condições:

10.1.1. Quando  acontecer na primeira tacada do "tee". 

10.1.2. Quando testemunhados por 2 jogadores ou 1 jogador e um caddie , no mínimo.

10.1.3. Quando comunicado sem demora  a Comissão Técnica, informando o buraco, a data e o nome dos jogadores e caddies presentes ao fato. Nos torneios oficiais, dispensa-se essa comunicação.

10.2. O jogador que tiver o Hole-In-One reconhecido pelo clube, terá seu nome gravado  na placa alusiva no respectivo “"tee"”.

10.3. O Fundo Hole In One é um fundo destinado a premiar os jogadores sócios, que  ao participarem de competições oficiais do clube   contribuem compulsoriamente  para esse fundo.

10.3.1. O valor de contribuição está definido no ANEXO 1.

10.4. Tem direito a receber o premio Hole-In-One, somente os jogadores que tenham o mínimo de  3(três) contribuições   para esse Fundo e tenham  feito Hole-In-One num torneio oficial do clube ou  na disputa do campeonato anual do clube.

10.5. O valor  do premio   Hole-In-One é de  R$ 1.000,00. 

 

11. TAXA DE USO  DO CAMPO - GREEN FEE

11.1. O pagamento do Green Fee  é  devido de todos os não associados e é  estabelecido  para um jogo de até 18 buracos, conforme ANEXO 1.

11.2. Os  presidentes de clubes e federações de golfe, os capitães de golfe e os profissionais de golfe em visitas eventuais estão isentos de pagamento de Green Fee.

11.3. Os convidados da diretoria  poderão ser liberados do pagamento do Green Fee a critério do Presidente ou do Capitão de Golfe.

12. USO  DO  CAMPO   POR  NÃO ASSOCIADOS

12.1. Um golfista não associado,  com residência permanente ou temporária no Estado,  poderá  utilizar o campo de golfe se for  convidado  de um associado. 

12.2. Um golfista  não residente no Estado, de passagem por esta região  a passeio ou a negócios,   poderá utilizar o campo  golfe dentro de um período máximo  de 30 dias, desde que seja convidado de um associado.   

12.3. Todo golfista não associado deverá pagar o  green fee para utilizar o campo de golfe , de acordo com a tabela  vigente. 

12.4. O associado  responde integralmente  por todos os atos praticados no clube pelo seu convidado, bem como pelo pagamento do gree fee e demais despesas realizadas no clube.

12.5. As restrições quantitativas de uso do campo  de golfe não se aplicam  aos golfistas inscritos em torneios oficiais do clube, aos golfistas de clubes conveniados e aos profissionais de golfe.

12.6. Demais situações de uso do  campo de golfe dependem de autorização previa do Presidente ou do  Capitão de Golfe.

13. GOLFISTAS INICIANTES 

13.1. São  golfistas iniciantes aqueles que desejam praticar golfe, tenham regularmente aula com o profissional do clube e não tenham handcap. 

13.2. O golfista iniciante poderá praticar durante 6 meses,  livre do pagamento de taxa de manutenção ou green fee, observando as condições abaixo: 

13.2.1. Quando acompanhado de um golfista com handcap não há restrição de horário, quando não acompanhado somente no período da tarde nos finais de semana e feriado e a qualquer horário durante os dias úteis.  

13.3. O profissional de golfe  do clube é a  única pessoa  autorizada  a ministrar aulas de golfe ,  devendo o aluno acertar diretamente com ele os horários e o  pagamento pelas aulas.

13.4. Os  golfistas iniciantes tem acesso e uso liberado  no “driving range”, na área de "chipping"  e no “putting green”.

13.5. O golfista iniciante estará  proibido de utilizar o campo de golfe desacompanhado do profissional  enquanto não  obtiver a liberação formal do mesmo.

13.6. O profissional do clube é o responsável por propor o handcap do golfista iniciante, ficando a comissão técnica responsável pela sua validação.

13.7. Após a validação do handcap o golfista iniciante está liberado para a utilização do campo sem restrição de horário, podendo participar de torneios e competições, desde de que convidado pela diretoria.

 

 

14. DISPOSIÇÕES GERAIS

14.1. O Starter deve cumprir  e fazer cumprir , como representante do Capitão de Golfe , as disposições deste Regulamento bem como  as determinações da Comissão Técnica.

14.2. È proibido adquirir bolas e outros materiais de golfe dos caddie, funcionários e pessoas estranhas ao clube. 

14.3. O Presidente poderá , em casos excepcionais, ad referendum da Diretoria, autorizar alteração temporária deste Regulamento.

14.4. Qualquer  sugestão ou reclamação deverá ser registrada no Livro de Sugestões disponível no Starter ou encaminhada por escrito ao  Capitão de Golfe.

14.5. O não cumprimento deste Regulamento sujeitará a punição de acordo  as Regras de Golfe  e/ou as penalidades previstas no Regulamento Interno do CCG, no que for aplicável. 

14.6. O presente  Regulamento Geral de Golfe foi aprovado pela Diretoria  em 13/04/2010.

 

Clique aqui para baixar o livro de regras do jogador.